Produtos para Ligeiros / Van / 4x4

Danos nos pneus

Danos nos pneus

Causas e tipos de danos nos pneus

Os pneus podem ficar danificados por diversas razões, e os danos podem aparecer sem que o condutor se aperceba de imediato de que existe um problema. Os tipos mais comuns de danos são furos, cortes, impactos, fendas, saliências e desgaste irregular. Nesta secção, explicamos os sinais e sintomas para o ajudar a diagnosticar o problema e acrescentamos algumas sugestões úteis para os prevenir.

Identificar o desgaste irregular

Existem vários tipos de desgaste irregular, sendo os mais habituais o desgaste escalonado, o desgaste de um só lado e o desgaste central. Aqui, explicamos como e porque ocorrem.

a. Desgaste escalonado

O desgaste escalonado é um padrão que resulta do uso normal e da configuração da suspensão. É a manifestação exterior visível (e audível) de várias forças de deformação que atuam no piso. Para explicar melhor, vamos aprofundar um pouco o conceito de desenho do piso.

Os sulcos do piso e as lamelas são essenciais para garantir a segurança em estradas molhadas e inundadas. No caso dos pneus de perfil baixo, em especial, é necessária uma percentagem maior de volume de vazio no piso para recolher a água e melhorar a proteção contra a aquaplanagem. Os sulcos transversais para drenagem da água têm a forma de blocos livres na área do ombro. Estes blocos do ombro podem desgastar-se até formar um padrão escalonado em resultado dos mecanismos de enrolamento em determinadas condições de utilização.


Estas condições incluem:

  • Viagens longas a uma velocidade estável em retas;
  • Um estilo de condução moderado;
  • O alinhamento e inclinação da geometria da suspensão.

Quando o pneu rola na estrada, os blocos livres deformam-se à medida que se aproximam da superfície de contacto do pneu e são comprimidos enquanto tocam no asfalto. No entanto, depois de perderem o contacto com a estrada, os blocos regressam, como uma mola, à sua forma original, roçando na superfície quando o fazem. O resultado é um desgaste do padrão na extremidade final do bloco, que surge mais frequentemente em rodas que não pertencem ao eixo motor.

Uma pequena quantidade de desgaste escalonado é aceitável e não tem efeitos percetíveis no conforto de condução. No entanto, se este desgaste for mais profundo, isso pode ser sinal de que existem problemas mais específicos. As causas podem variar entre enchimento incorreto, convergência excessiva e aplicações de baixo desgaste.

Iniciar
Check tires

b. Desgaste central

É possível encontrar este padrão de desgaste nas rodas do eixo motor de automóveis de alta cilindrada. Durante uma aceleração enérgica, no tráfego pára-arranca urbano ou ao acelerar quando os semáforos ficam verdes, estes altos níveis de binário podem aumentar rapidamente o desgaste do centro do piso. Até os veículos atuais de gama média têm motores modernos que podem gerar altos níveis de binário e são capazes de produzir elevados níveis de deslizamento.

c. Desgaste de um só lado

A principal causa para o desgaste de um só lado é a geometria dos eixos. Podem desenvolver-se desvios ao longo do tempo, em resultado, por exemplo, de subidas bruscas a passeios.

Diminuir a altura do veículo colocando também pneus de baixo perfil pode igualmente afetar o alinhamento das rodas. Durante a condução, os braços de uma suspensão modificada tendem a desviar o alinhamento das rodas relativamente à posição especificada. Este problema pode apanhar os condutores desprevenidos, uma vez que os valores do alinhamento das rodas podem ainda estar situados dentro dos limites de tolerância quando medidos em posição estática num banco de medição dos eixos. No entanto, os dados de alinhamento do fabricante aplicam-se aos veículos conforme fornecidos e não se aplicam necessariamente a veículos personalizados. Assim, o resultado pode ser um aumento do desgaste não uniforme do piso.

Se as rodas de um veículo estiverem desalinhadas, um especialista qualificado pode corrigir o desvio realinhando as rodas.

Identificar uma fenda de impacto ou saliência

Uma fenda de impacto é uma deterioração provocada na carcaça (a estrutura interna do pneu) depois de o pneu colidir com determinados obstáculos. Uma saliência pronunciada na parede lateral do pneu indica que existem cordões destruídos no interior da carcaça.

Os danos deste tipo são geralmente provocados pela condução sobre determinados objetos – como passeios ou lombas de controlo de velocidade – a uma velocidade excessiva ou num ângulo incorreto. Uma tensão demasiado alta sobre a carcaça leva alguns cordões a partir. A dimensão exata dos danos dependerá da velocidade e do ângulo de impacto, bem como do tamanho do obstáculo. Os condutores cuidadosos conseguem normalmente evitar este tipo de danos, a menos que o obstáculo surja repentinamente em frente ao veículo e não seja possível contorná-lo.

Ignorar estes danos aumenta o risco de falha do pneu em algum momento futuro, nomeadamente o descolamento do piso e das telas ou a desintegração da parede lateral do pneu.

Uma fenda de impacto é por vezes confundida com um ressalto na parede lateral, mas são situações diferentes. Como explicamos abaixo, as saliências ou ressaltos na parede lateral não são motivo para alarme.

Identificar um ressalto na parede lateral

A parede lateral do pneu nem sempre está totalmente uniforme; por vezes, existem saliências e ressaltos, sendo necessária uma verificação mais pormenorizada para determinar as causas. O mais importante é perceber que os ressaltos são inofensivos e não prejudicam as características de condução ou de segurança. As saliências são superficiais.

A melhor forma de ilustrar os ressaltos no pneu é imaginar um fio atado à volta de um balão cheio, que vai sendo apertado progressivamente. Se o balão é o pneu, o fio representa os cordões incorporados na carcaça, que são escondidos pela borracha. Estes cordões conferem ao pneu a sua força e estabilidade, transferindo as forças da direção e da travagem durante a condução.

Durante o fabrico de um pneu – ou, mais concretamente, durante a construção da carcaça, a que as cintas de aço e o piso são ligados – os cordões dão muitas vezes uma ou duas voltas à carcaça. É esta sobreposição que é por vezes visível como um ressalto depois de o pneu ser instalado e enchido. 

No entanto, se tiver dúvidas, peça a um especialista em pneus qualificado que verifique a parede lateral.

Identificar um corte

Os cortes são o resultado de influências externas como más condições da estrada, peças da carroçaria salientes, ou objetos afiados e cortantes, nomeadamente pedras ou vidro. Se detetar danos sob a forma de um corte na superfície do pneu, deve visitar o seu revendedor de pneus e pedir a verificação imediata dos pneus por um especialista.

Explicação dos furos

Os furos são provocados por objetos afiados na estrada – por exemplo, pregos, parafusos ou vidro partido – que penetram a superfície do pneu. Se o furo for suficientemente profundo, o pneu pode começar a perder pressão de ar. Se constatar que um ou mais pneus estão a perder pressão continuamente, ou se descobrir um prego ou um parafuso que penetrou no piso, visite o mais rapidamente possível o seu especialista em pneus para efetuar a reparação.

Como evitar danos

Mude a posição dos pneus no veículo a intervalos regulares (salvo recomendação em contrário do fabricante do veículo) para promover um desgaste uniforme dos pneus. A posição dos pneus deve ser rodada, por exemplo, quando se efetua a transição de pneus de verão para pneus de inverno.

Ao efetuar a rotação das rodas do eixo motor para o eixo não motor, os condutores deverão conseguir um padrão uniforme de desgaste nos seus pneus. Mas, como sempre, deve cumprir as recomendações indicadas pelo fabricante do veículo.

Se existir uma situação em que tem de conduzir sobre um obstáculo na estrada, aborde-o lentamente e o mais próximo possível da perpendicular. Em seguida, verifique se os pneus têm danos exteriores, como cortes, fendas ou saliências. Evite também conduzir de forma brusca em estradas não pavimentadas.

Onde Comprar